sábado, 4 de setembro de 2010

Economia da Saúde

O QUE É A ECONOMIA DA SAÚDE

A Economia da Saúde nasceu como um ramo da Economia aplicado ao estudo da organização, funcionamento e financiamento do setor Saúde. Nos últimos anos vem ganhando força como uma área de conhecimento específica, cujos modelos e instrumentos são de grande auxílio na análise e equacionamento dos problemas do setor.
É uma área bastante desenvolvida e importante nos Estados Unidos, na Europa e em alguns outros países desenvolvidos como o Canadá e a Austrália, onde constitui parte indispensável do trabalho de formulação e avaliação de políticas de saúde. No Brasil, a Economia da Saúde engatinha, sendo ainda desconhecida por muitos profissionais da saúde e contando com um número muito pequeno de profissionais atuantes.
O Grupo de Economia da Saúde da Faculdade de Saúde Pública trabalha para desenvolver a área no Brasil, oferecendo disciplinas, cursos e eventos e desenvolvendo pesquisas sobre temas específicos.
Estes são os principais temas de investigação em Economia da Saúde, e as perguntas que o Economista da Saúde se propõe a responder.

  • A demanda de Serviços de Saúde (SS) e seus determinantes.
Como se comporta o usuário de serviços de saúde? O que o faz escolher tal prestador ou tal tipo de serviço? Até que ponto o preço do serviço é fator impeditivo no uso dos serviços? Qual é a importância do tempo de espera e da distância?
  • A oferta de serviços e o comportamento dos produtores.
Qual é o comportamento de um prestador de saúde? Como ele decide quais serviços ou produtos oferecer? Como ele decide qual tecnologia utilizar? Como as formas de remuneração afetam o comportamento do prestador?
  • O mercado de SS: características e intervenção do Estado.
Quais as características do mercado de serviços de saúde? O que o diferencia do mercado para um bem de consumo comum? Porque o Estado intervém na Saúde? Quais os objetivos e formas da regulamentação?
  • O financiamento do setor e a alocação de recursos.
Quanto o Brasil realmente gasta em saúde? Existe um nível "adequado" de gasto em saúde? Como são financiados os serviços de saúde públicos e privados? Quais as implicações de cada forma de financiamento? Aonde e como os recursos são alocados no setor saúde? Qual a relação entre alocação, eficiência e custo?
  • A produção da saúde e sua relação com o desenvolvimento.
Quais os fatores que afetam a saúde das pessoas? Como o setor saúde se relaciona com os demais setores sociais e com os setores produtivos? Qual a sua relação com o nível de desenvolvimento de um país?
  • A avaliação econômica dos serviços de saúde.
Como assegurar uma boa utilização dos recursos existentes? Como avaliar a viabilidade econômica de um programa de saúde? Qual é a "melhor" intervenção contra uma determinada doença? Como avaliar se um programa "vale o dinheiro gasto"?
  • Organização, eficiência e custo dos sistemas de saúde.
Como são estruturados e organizados os serviços públicos e privados de saúde? Existem formas de organização melhores do que outras? O que é o "Managed Care"? O que determina o custo de um serviço? Como é possível controlar esse custo?
  • A reforma do setor saúde e a busca da eficiência
O que é uma reforma do setor saúde, e quais são seus objetivos? O que os diferentes países têm feito para reformar seu setor saúde? Qual o papel da eficiência e do custo nas reformas sanitárias?


Revista Cebes Agosto de 2006

Nenhum comentário:

Postar um comentário